Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

Painel H&C
Notícias
QUINTA-FEIRA, 13 DE SETEMBRO DE 2018

Beleza Islâmica

Tendências emergentes

A Geração M tenderá a dominar o mercado consumidor. As marcas internacionais de beleza precisam começar a atender às necessidades e desejos desse grupo demográfico poderoso, jovem e expansivo.

 

Resumo

Até 2040, os caucasianos, ou brancos, serão o menor grupo étnico no planeta. Graças às mudanças na taxa de natalidade em todo o mundo e a um aumento nos casamentos inter-raciais, a raça humana se tornará mais mestiça do que nunca.

De acordo com estimativas, a comunidade muçulmana deverá se tornar um grupo consumidor de suma importância. Segundo pesquisa realizada pelo Pew Research Center, o número de bebês nascidos em famílias muçulmanas vai ser maior que o de bebês nascidos em famílias cristãs até 2030 em todo o planeta. O crescente poder de compra dessa base de consumidores mundialmente também deve ser

destacado. De acordo com o relatório da economia global islâmica de 2016 da Thomson Reuters, os muçulmanos gastaram US$ 1,9 trilhão em 2015, número que deve subir para US$ 3 trilhões até 2021.

Para a indústria da beleza, esse grupo demográfico em expansão representa grandes oportunidades. Segundo os dados do relatório, os muçulmanos deverão gastar US$ 213 bilhões em produtos de beleza até 2021. Entenda como aproveitar as novas oportunidades e como ressoar entre esse público consumidor.

 

Pontos de ação

Reflita sobre crenças e valores dessa geração: A Geração M têm valores fortes, imutáveis e enfáticos, inerentes à fé islâmica. Certifique-se quais são esse valores e jamais os transgrida.

Invista no 'halal': garantir o certificado de produto 'halal' (produzido de acordo com as especificações do islamismo) pode exigir tempo e dedicação, mas um selo de aprovação irá ajudar sua marca a ganhar mais facilmente a confiança do consumidor muçulmano do que qualquer outra coisa.

Aposte em novos feriados: o Natal e a Páscoa não são os únicos feriados religiosos a contar com consumidores procurando produtos de beleza para presentear. Dê atenção também para o Eid e ofereça produtos para quem celebra o fim do Ramadã.

Venda com integridade: não dê uma ênfase arbitrária a este consumidor para ganhar terreno em novos mercados. Invista no trabalho de campo e em pesquisas minuciosas e detalhadas para garantir que sua mensagem esteja alinhada com a fé, as prioridades e o estilo de vida dos consumidores da Geração M.

 

Geração M

Como destacado na matéria O consumidor do futuro 2020, a Geração M (formada por jovens muçulmanos da Geração do Milênio) deve representar um quarto da população mundial (2,8 bilhões de pessoas) até 2050.Portanto, mundialmente, seu poder de compra e sua influência cultural não podem mais ser ignorados.

Nascidos no decorrer dos últimos 30 anos, os millennials muçulmanos se diferem de seus equivalentes cristãos do mundo ocidental de uma maneira bem específica: a religião forma a base de seuestilo de vida e o mundo moderno está tendo que se adaptar para acomodá-los.

A escritora Shelina Janmohamed, autora de "A Geração M: os jovens muçulmanos estão mudando o mundo", escreve: "A fé deles influencia tudo e eles querem que o mundo entenda isso. Isso é o que os diferencia dos seus irmãos não-muçulmanos. É o único fator que irá moldá-los. Eles estão determinados a fazer com que o mundo atenda às suas necessidades. Eles são um grupo jovem, antenado em tecnologia e autoconfiante, que acredita que sua identidade pode abranger tanto a fé quanto a modernidade."

O crescimento exponencial dessa população deve atingir várias regiões, grupos demográficos e setores da indústria. Dos 11 países que se tornarão as maiores economias do mundo neste século, seis têm uma população predominante muçulmana. De acordo com a Mintel, a Índia deverá ter o mais rápido crescimento de população muçulmana nos próximos anos, com projeção de alcançar um número estimado de 311 milhões de pessoas em 2050, enquanto a Indonésia seguirá tendo a maior população muçulmana do planeta. As minorias muçulmanas no Ocidente estão crescendo ano após ano, e espera-se que a classe média muçulmana triplique de tamanho e alcance 900 milhões de pessoas no ocidente até 2030, dando força às principais mudanças sociais, econômicas e políticas que este grupo está determinado a fazer.

Composta por homens e mulheres jovens, cheios de aspiração e determinação, a Geração M está cansada de lutar contra os rótulos que a sociedade deu a ela. Seus jovens estão se esforçando para obter mais reconhecimento e liberdade em suas vidas, e esperam que as marcas que consomem reflitam de fato seus valores e necessidades. As corporações multinacionais, em geral, têm demorado a abraçar o consumidor islâmico, e agora é a hora de mudar isso.

 

Certificado 'halal'

Ao comprar produtos de beleza, o consumidor muçulmano tem uma coisa em mente: 'halal', que em árabe significa 'permissível'. Considerando os produtos 'halal' um fator-chave em sua escolha alimentar, os millennials muçulmanos aplicam o mesmo escrutínio rigoroso em relação aos cosméticos que compram. E aqui, vários fatores entram em ação. Para um produto ser considerado halal, ele, em geral, não deve:

– conter substâncias derivadas de porco, seja na forma de gelatina, queratina ou colágeno

– ser derivado de animais que não foram abatidos em

nome de Alá

– conter sangue

– conter álcool

– ser testado em animais

– deixar de fazer parte de uma cadeia de fornecimento de comércio justo

Para ganhar o certificado halal, os produtos precisam ser submetidos aos órgãos oficiais, exatamente como os que regem o mercado orgânico e natural.

Existem várias instituições respeitáveis, como o Departamento de Desenvolvimento Islâmico da Malásia, o Conselho Ulama da Indonésia e a Certificação Halal dos EUA, mas o processo ainda não foi padronizado mundialmente e há riscos de discrepâncias.

Embora o processo de obtenção do certificado possa ser demorado e caro, o retorno sobre o investimento é claro. Uma pesquisa realizada em 2011 pela Messe Frankfurt GmbH, organizadora do Beautyworld do Oriente Médio, descobriu que 57,6% e 37,7% dos muçulmanos de Cingapura e da Indonésia, respectivamente, declaram comprar preferencialmente cosméticos com certificados halal em relação aos demais produtos, quando disponíveis. O mercado de cosméticos halal deverá chegar a valer US$ 52 bilhões até 2025. Nas regiões onde a comunidade muçulmana é mais proeminente, o incentivo para a certificação halal de marcas nacionais e internacionais já é aparente. A L'Oréal possui uma fábrica halal totalmente na Indonésia. A BASF agora oferece 145 produtos que atendem aos padrões halal internacionais, e a DSM anunciou, no início deste ano, que a maioria dos ingredientes dos seus produtos de higiene pessoal passou a ser halal.

Fonte: WGSN

Veja também:

Calendário de Eventos 2019
ver completo
Parceiros H&C
  • ABC
  • Abipla
  • Abre
  • ABT
  • Anvisa
  • FCE Cosmetique
  • FtechSM
  • iCosmetologia
  • AACD
Rua Rio da Prata, 164 - Brooklin - São Paulo - SP - Brasil - CEP: 04571-210

Ftech Soluções em Internet