Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

Painel H&C
Notas de Mercado
TERÇA-FEIRA, 27 DE NOVEMBRO DE 2018

Produtos baseados na cannabis decolam no mercado de beleza

Com a crescente legalização da maconha nos Estados Unidos, os consumidores estão cada vez mais intrigados com o produto, muito além de seus usos recreativos. Marcas independentes menores, como a Optiat e a MGC Derma, foram algumas das primeiras a entrar neste mercado inexplorado, enquanto os principais players estão seguindo o exemplo. A Origins da Estée Lauder lançou recentemente o Hello Calm: Máscara Facial Relaxante e Hidratante com Óleo de Cannabis Sativa. 

Espera-se, segundo a Factor-Kline, que o ano de 2019 testemunhe mais players, sejam eles do mercado de luxo, do consumo em massa ou de especialidades entrando neste mercado em rápido crescimento. Segundo estudo da empresa, com o crescente interesse e a preferência por produtos mais naturais, os consumidores procuram expandir sua curiosidade, voltando-se para as vantagens da cannabis como um ingrediente-chave benéfico.

O canabidiol (CBD) não é novo na indústria da beleza. No entanto, desde a sua legalização em certos estados americanos, ganhou mais credibilidade e potencial para se tornar um ingrediente básico. Algumas marcas já começaram a incorporá-lo como alternativa a outros ingredientes. O rímel Kush, lançado pela Milk Makeup em 2017, usa o CBD como agente aglutinante no lugar da tradicional cera de abelha.

Como substituto da cera de abelha, o óleo de CBD pode ser usado em produtos para o tratamento de lábios e produtos para os cabelos por suas propriedades suavizantes. Os benefícios nos cuidados com a pele, entretanto, são profundos. O CBD possui propriedades redutoras de estresse, de alívio da dor e propriedades anti-inflamatórias, tornando-o adequado para máscaras faciais, cremes e soros.

A Factor destaca que um desafio de marketing frequente que as marcas podem enfrentar é diferenciar o uso de óleo de semente de cânhamo versus o CBD. Apesar de ambos os ingredientes serem agrupados na categoria de derivados da cannabis, a diferença nos efeitos é significativa. É uma concepção comum que os produtos derivados do cânhamo não contêm níveis de CBD suficientemente altos para terem um impacto eficaz na pele, e os produtos que contêm óleo de CBD, que devem ser rotulados como tal de acordo com a lei dos EUA, estes sim, fornecerão os benefícios esperados.

No entanto, existe uma oportunidade para uma marca informar aos seus consumidores sobre a eficácia e o uso da cannabis como um ingrediente quando da sua escolha de produto, ganhando assim a confiança de consumidores que querem experimentar o produto pela primeira vez e que vêm a cannabis como a nova tendência no mercado da beleza.

“Garantir que o CBD puro seja usado em produtos que usam o rótulo do governo dos EUA será a forma como as marcas que usam o CBD, e não apenas o óleo de semente de cânhamo, poderão se diferenciar.”

Fonte: Redação Revista H&C

Tags

  • cannabis
  • maconha
  • mercado

Veja também:

Calendário de Eventos 2019
ver completo
Parceiros H&C
  • ABC
  • Abipla
  • Abre
  • ABT
  • Anvisa
  • FCE Cosmetique
  • FtechSM
  • iCosmetologia
  • AACD
Rua Rio da Prata, 164 - Brooklin - São Paulo - SP - Brasil - CEP: 04571-210

Ftech Soluções em Internet