Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

Painel H&C
Revista H&C - Edição 102

Inovação pulsa em colorações

TERÇA-FEIRA, 6 DE JUNHO DE 2017

Pensar em fórmulas mais suaves para colorações capilares é possível e re­levante. E tem bastante gente fa­zendo isso. Ao questionar especia­listas de cosmetologia, fabricantes de produtos finais e fornecedores de matérias-primas identificam-se diversos caminhos nesse sentido, que já estão sendo explorados por quem atua nesse mercado.

“O que há de simplesmente fantástico e totalmente inova­dor é a tecnologia de coloração física, desenvolvida pela empre­sa japonesa Kao, que criou um sistema de penetração e ancora­gem para os pigmentos que não envolve oxidação dos cabelos”, diz a cosmetóloga Sonia Corazza. Segundo ela, o resultado é a linha Elumen, da Goldwell, “que aterri­sa no Brasil em maio deste ano e oferece cores intensas, boa dura­bilidade, brilho intenso e nenhum tipo de dano ao fio”. “Totalmente vanguardista”, completa.

A especialista acredita que não adianta ficar tentando di­minuir o dano em colorações oxidativas, pois já existem siste­ma amenizadores para esse tipo de fórmula. “Vejo as colorações permanentes com sistema físico como o grande salto quântico na história da cosmetologia”, afirma. Sonia diz ainda que fotos de mi­croscópio eletrônico comprovam que um fio de cabelo tratado com a coloração física Elumen não fica manchado, recupera o ambiente ácido do cabelo, tem ação repara­dora e durabilidade incomparável com os clássicos colorantes per­manentes oxidativos.

 

O que define – Mas o que de fato pode definir formulações mais su­aves para colorações capilares? Para Sonia, trabalhar em pH ácido e não destruir a estrutura natural do cabelo são as grandes bases para considerar uma tecnologia de coloração realmente suave e inovadora.

A consultora técnica e farma­cêutica da Biotec Dermocosméti­cos, Mika Yamaguchi, acrescenta que o suave poderia ser usado para item que agrida menos o fio e também sensibilize menos o couro cabeludo. Segundo a especialista, essa é uma procura constante, mas também se pode pensar de outra forma: melhorar a resistência do fio e, com isso, ele suportará melhor o processo quí­mico de maneira mais suave.

“Uma tecnologia que pode ser usada é o Reparage, um ativo da Biotec composto de aminofun­cionais com polímeros diferencia­dos, que auxilia na reparação e reestruturação do fio e, ao mes­mo tempo, forma um fio aumen­tando a hidratação e ganho de densidade”, diz.

 

Mais natural – A Embelleze apos­ta no segmento de tinturas com composição natural, por meio de suas linhas Maxton Free e Natu­cor. De acordo com a empresa, o crescimento da demanda por pro­dutos de origem natural é reflexo da mudança de comportamento do consumidor. “Cada vez mais informado, ele espera atitudes em­presariais que demonstrem preo­cupação com o meio ambiente, e isso deve estar presente não só na confecção da embalagem, mas em todo o processo de produção, in­cluindo a seleção da matéria-prima que será utilizada”, ressalta a fa­bricante por meio de sua assesso­ria de imprensa.

Maxton Free é uma tintura com fórmula sem amônia e livre dos famosos ‘proibidões’, destaca a marca. Além disso, contém d­-pantenol, que auxilia no fortaleci­mento dos fios, e phytoscreen, que protege dos raios solares. Possui 12 nuances. Já Natucor é sem água oxigenada e sem amônia e utiliza nutrientes de ervas, flores e frutos. Segundo a fabricante, essa marca “tem uma maneira mais natural de dar vida a uma nova mulher”. Sua fórmula é suave e basta misturá-la com água potável para colorir os fios. São 17 nuances no total.

 

Percepção diferenciada – Delane D’Azevedo, gerente da categoria de coloração da Niely, afirma que a consumidora brasileira vive uma realidade com no mínimo dois processos químicos diferentes nos cabelos: uma química e uma cor. Diante desse cenário, a executiva explica que a marca desenvolveu a formulação de Brilho&Ton com a responsabilidade de atender a esse público. “Como fazemos parte do grupo L’Oréal, tivemos todo suporte para a criação de uma fórmula que não ressecasse os fios”, diz Delane.

 A outra cor, Preto Kiu, foi inspirada na influenciadora digi­tal Thaynara OG, “que possui o tom dos cabelos mais desejados da rede”. “Ela tem quase dois mi­lhões de seguidores no Instagram e um dos jargões mais usados por ela e por suas seguidoras é o Kiu, que significa o máximo, tudo de maravilhoso e espetacular”, expli­ca a gerente da Niely.

 

Milhões de seguidores – Ago­ra em 2017, essa família cresceu com as novas variantes Vinho Marsala e Preto Kiu. “Cores su­per solicitadas pelas consumido­ras”, diz Delane. A gerente ex­plica que o tom Marsala é uma tendência bastante forte em to­dos os segmentos: make, roupa e acessórios. E que, rapidamente, o desejo se voltou também para os cabelos. “A cor lembra uma to­nalidade de vinho encorpado. É um tom forte e expressivo que só era disponível misturando outros tons existentes no mercado pro­fissional e do varejo”, diz. A por­ta-voz da marca, a atriz e apre­sentadora Fernanda Souza – com mais de 10 milhões de seguidores no Instagram – usa essa “cor do momento”, segundo Delane.

A outra cor, Preto Kiu, foi inspirada na influenciadora digi­tal Thaynara OG, “que possui o tom dos cabelos mais desejados da rede”. “Ela tem quase dois mi­lhões de seguidores no Instagram e um dos jargões mais usados por ela e por suas seguidoras é o Kiu, que significa o máximo, tudo de maravilhoso e espetacular”, expli­ca a gerente da Niely.

 

Cuidado e precisão – As novida­des no sentido de colorações mais suaves aparecem de forma geral, as marcas de fato buscam esse tipo de solução. Quem também ilustra o esforço da indústria para apresentar novidades às consumi­doras é a Revlon Professional. A marca também destaca um lan­çamento de 2016: a coloração Revloníssimo NMT.

“Além de sua formulação conter nanomoléculas, dando mais intensidade a cor, possui ativos hidratantes, como lipídios, proteína de soja, cristais líquidos e hidrobetaína, que ajudam a tratar enquanto colorem”, diz Magda Contrera, coordenadora técnica da marca. A hidrobetaína, segun­do a profissional, também tem a função de proteger o couro cabe­ludo, evitando desconfortos du­rante o processo.

Neste ano, a marca prevê novidade. “Teremos o lançamen­to da coloração Revloníssimo Colorsmetique, que traz em sua composição o ácido hialurônico, um cuidado extra para o couro ca­beludo, uma pele muito sensível, além da proteína de soja e uma molécula de brilho que garante oito vezes mais brilho. Possui um ingrediente de oxidação contro­lada, com isso conseguimos mais precisão nos resultados da cor”, explica Magda.

A especialista afirma que a inovação pulsa na categoria. “A indústria cosmética está sempre inovando, buscando novos ativos e se reinventando, isso é extrema­mente importante para nós. Na verdade, o nosso objetivo é aten­der à necessidade e ao desejo das clientes, então a resposta é sim, a gente inova”, diz.

 

Café e arroz – A Aqia destaca de seu portfólio um ingrediente lan­çado há alguns meses que pode ser usado no segmento de colo­ração com a finalidade de obter resultado mais suave. Segundo Lívia Carolina Silva, especialis­ta em marketing da empresa, o Green Coffee Micro, obtido a partir de grãos de café verde cul­tivado no Brasil, é uma nova tec­nologia 100% brasileira. “Devido à grande quantidade de carga li­pídica presente na matéria-prima, esse produto aplicado em tinturas melhora consideravelmente a ma­ciez da fibra, além de realçar e po­tencializar a fixação do pigmento no interior do fio capilar”, afirma. Além disso, Lívia acrescenta, a ca­feína presente no item “favorece o fluxo sanguíneo ao interagir com os folículos capilares, o que melhora o aporte de nutrientes entre os fios, e a sua potente ação antioxidante protege os fios das agressões diárias”.

 

Apesar de não ser lançamen­to, a especialista da Aqia também evidencia outro ingrediente que a empresa oferece: o ProArroz, uma proteína hidrolisada do arroz, com benefícios de umectação e hidra­tação. “É restaurador de cabelos devido à sua identidade e subs­tantividade, ao aumento da esta­bilidade da cor em cabelos tingi­dos e ao seu principal benefício, que é reduzir a agressividade de agentes químicos, como colora­ção”, diz Lívia.

Essa matéria-prima foi avalia­da e, de acordo com a profissional, os testes comprovam que a adição de 2% de ProArroz na tintura capi­lar promove uma uniformidade da superfície dos fios e uma melhora na retenção da cor. “Os peptídeos de peso molecular de cerca 15.000 daltons ajudam restaurar o brilho e a suavidade dos fios, além de ajudar na manutenção da cor dos cabelos tintos. Os resultados ain­da mostraram que o ingrediente melhorou de forma significativa a maciez e a penteabilidade, além de reduzir o volume e o frizz”, com­plementa a especialista.

 

Figueira da Índia – Amanda Omodei, gerente de marketing técnico da Focus Química, suge­re que para amenizar os efeitos agressivos do processo de colo­ração capilar, o primeiro ponto a ser observado é o cuidado com o couro cabeludo, “pois o contato do produto diretamente nessa su­perfície pode ocasionar pequenas lesões ou feridas, irritação aguda acompanhada de vermelhidão, coceira e até descamação”. Sen­do assim, segundo Amanda, é aconselhável agregar ao produto base da coloração um ativo para amenizar essas reações.

Recentemente, a Mibelle Bio­chemistry, representada com ex­clusividade no mercado brasileiro pela Focus Química, lançou um ativo derivado do Cactus Opun­tia Ficus-Indica, Figueira da Índia, que é rico em fonte de vitaminas e minerais e possui especial ação calmante no couro cabeludo. O ativo é o AquaCacteen, que pro­mete “acalmar o couro cabeludo pelo bloqueio da liberação de mediadores inflamatórios das cé­lulas nervosas na pele, permitindo maior hidratação devido seu alto teor de compostos com afinidade pela água e protege a superfície dos fatores de estresse externos devido à sua composição rica em flavonoides, ácido psídico e po­lissacarídeos”. “O ativo é extra­ído em solvente lipofílico, o que garante maior afinidade com o couro cabeludo, entendido com extensão da pele, aumentando, portanto, sua afinidade e efetivi­dade”, afirma Amanda.

Diversidade – Amanda ressalta também que uma alternativa ao uso das tinturas permanentes é intercalar o seu uso com a utiliza­ção das tinturas semipermanentes ou temporárias, pois não possuem em sua composição e modo de uso amônia ou água oxigenada, ou seja, diminui-se consideravelmente as agressões aos fios e couro ca­beludo. A Focus Química também representa a empresa americana Teluca e oferece a linha Colorex de corantes semipermanentes e dire­tos para utilização em formulações de xampus, condicionadores, más­caras capilares, sprays e géis.

Além dos corantes capilares, a Focus apresenta um ativo recém­-lançado em Londres, de sua repre­sentada Phenbiox, da Itália. O ati­vo LifeEssence-Vitis é retirado logo após o inverno rigoroso, quando o aumento da temperatura faz com que a raiz da videira ative sua cir­culação, liberando “lágrimas pre­ciosas que correspondem a uma poderosa essência da vida”: a seiva da videira. Rico em sais minerais, aminoácidos, sacarídeos naturais, polifenóis e ácidos orgânicos que são aliados da nutrição celular, o ativo possui testes que compro­vam a sua eficácia no aumento da elasticidade do cabelo, aumento da força e redução da quebra dos fios, proporcionando cabelos mais fortes, resistentes e reparados. “In­grediente ideal para pós procedi­mentos de coloração e químicos”, conclui Amanda.

 

Tecnologia – A distribuidora Ban­deirante Brazmo também trabalha com soluções que se encaixam no mercado de colorações. Um exem­plo é um ativo nanotecnológico, da empresa argentina Nanovec, que devido ao seu ‘alto poder’ de afinidade com pigmento utilizado na coloração possibilita maior fi­xação da coloração e ajuda a evi­tar a eliminação com sucessivas lavagens. “Além dos benefícios de hidratação, maciez, resistência da fibra capilar”, diz Fabricia Sou­za, coordenadora de marketing da Bandeirante.

“Por ser nanotecnológica, a base de lecitina de soja que é de origem natural minimiza a irritação causada durante o processo de co­loração”. Fabricia afirma também que Lipcuat 12 é um produto de fácil e rápida incorporação na for­mulação, devido ao seu processo de obtenção e por ser altamente estável em todos os meios e pH.

Tecnologia também faz parte do portfólio da Cosmotec. Para atender à alta demanda por di­ferentes cores de tinturas, a em­presa oferece a linha  Jarocol, da Vivimed, de corantes oxid ativos, semipermanentes e temporários, com produtos que apresentam um ‘alto controle’ de impurezas, oferecendo tecnologias seguras para coloração.

“A combinação desses coran­tes permite ao formulador criar uma ampla variedade de tons para diferentes aplicações, que vão desde efeitos temporários a cores permanentes com longa durabili­dade”, diz 

Vanessa Silva, coorde­nadora de tecnologia e inovação da Cosmotec. O mais recente lan­çamento da linha é Sapphire Blue, que promove “um tom de azul vibrante e estável, possibilitando o desenvolvimento de tonalidades clássicas até tons vibrantes que se­guem as últimas tendências”.

Outro destaque da distribui­dora para essa categoria é o Flo­raesters K-20W Jojoba, da Flora­tech, que agrega benefícios para formulações de coloração oxidati­va, pois, além de aumentar a in­tensidade da cor, reduz o tempo de aplicação da tintura, de acordo com Vanessa. “Isso ajuda a mini­mizar o potencial de irritação da coloração, uma vez que ela ficará menos tempo em contato com o couro cabeludo, aumentando a segurança do produto”, diz. Esse ingrediente também pode ser usado em linhas de manutenção, para auxiliar na proteção da cor e contribuir para o maior condicio­namento dos fios.

Se você chegou até aqui, pode perceber que as empresas estão se movimentando a todo momento e pensando em soluções que vão beneficiar, sobretudo, o consumi­dor e consequentemente as pró­prias fabricantes. Esforços para obter novidade e inovação não faltam. Basta aplicá-las.

 

Mais sobre esta Edição
Parceiros H&C
  • Abipla
  • ABC
  • Abre
  • ABT
  • Anvisa
  • FCE Cosmetique
  • AACD
Rua Rio da Prata, 164 - Brooklin - São Paulo - SP - Brasil - CEP: 04571-210

Ftech Soluções em Internet