Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

Painel H&C
Revista H&C - Edição 104

Cosmetopetologia

SEGUNDA-FEIRA, 25 DE SETEMBRO DE 2017

Qualquer um que queira se aventurar a formular produtos para cães e gatos precisa ter no­ções importantes das imensas di­ferenças entre a pele e pelos dos humanos e destes animais. Não adianta querer adaptar a mesma formulação usada para cabelos humanos. Produtos destinados aos animais domésticos, estou falando basicamente de cães e gatos, precisam ser concebidos e elaborados somente para eles. Visitando Pet shops fico horroriza­da ao ler as bulas qualitativas dos cosméticos comuns de mercado e com muita dó dos pobres animais que vão receber essa carga de agentes sensibilizantes.

QUANTA DIFERENÇA!

Vou contar para vocês quanta diferença existe entre animais e seres humanos:

Na pele humana o pH varia de 4,0 a 5,4, com uma média de 4,70, segundo o estudo “Natural skin surface pH is on average below 5, which is beneficial for its resident flora”, publicado no International Journal of Cosmetical Science em 28/10/2006. Na pele do cão sadio, o pH vai de 5,86 a 6,45, com uma média de 6,16, segundo o traba­lho científico intitulado“ Determi­nación de pH normal de la piel de caninos y felinos”, apresentado no XIII Congresso Chileno de Me­dicina Veterinária, da Universidade do Chile, em Valdívia, em 2004. Esse primeiro parâmetro já mostra quão importante é a escolha de tensoativos para formular um sim­ples xampu para cães e gatos.

Os pets possuem maior área superficial de pele, mais folículos pilosos, que, diferentemente dos seres humanos, são compostos de 5 a 20 pelos secundários para cada pelo primário. Aqui enxerga­mos que a área superficial ponde­rada a ser cuidada é muito maior do que, por exemplo, a superfície de couro cabeludo e cabelo hu­mano. Mas as divergências ainda não chegaram ao fim!

A epiderme de cães e gatos é muito mais fina que a humana e varia de 15 a 40 μm, sendo que os gatos têm o valor mais baixo e os cães a média superior. Por­tanto a permeação cutânea é a maior que o da pele humana e o potencial de sensibilização tam­bém é mais alto.

As glândulas sebáceas destes animais domésticos são denomi­nadas holócrinas, pois eliminam secreção graxa e células. Já as glândulas sudoríparas segregam menor quantia de suor.

Possuem glândulas especiali­zadas: perianais, dos sacos anais, ceruminosas, de Meibom e da cauda. Sabe o que isso signifi­ca? Que a sujeira é bem distinta da impureza eliminada pela pele e cabelos humanos. E para com­pletar , os animais domésticos são verdadeiras “cidades” ambulan­tes de micróbios, principalmente bactérias gram negativas.

Com tudo isso ficou claro que formular para nossos amigos de quatro patas requer, como tudo bem feito nessa vida, conhecimen­to e dedicação. Só assim vamos contribuir para bem-estar e saúde para estes seres tão queridos.

Mais sobre esta Edição
Parceiros H&C
  • ABC
  • Abipla
  • Abre
  • ABT
  • Anvisa
  • FCE Cosmetique
  • FtechSM
  • iCosmetologia
  • AACD
Rua Rio da Prata, 164 - Brooklin - São Paulo - SP - Brasil - CEP: 04571-210

Ftech Soluções em Internet