Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

Painel H&C
Revista H&C - Edição 108

Como os insumos naturais estão agitando o mercado cosmético

SEGUNDA-FEIRA, 11 DE JUNHO DE 2018

Conforme indicado pela Euro­monitor, uma das tendências globais de consumo para 2018 é o aumento do uso de produtos que contenham ingredientes naturais ou que sejam obtidos através de proces­sos que respeitem o meio ambiente. As novas gerações, nascidas em meio a crises e transformações globais, fi­caram mais conscientes sobre o que consomem. De acordo com a Kline & Co., o mercado de ingredientes ati­vos para cuidados pessoais atingiu a marca de US$ 1,1 bilhão, sendo Bra­sil, China, Europa e Estados Unidos os principais mercados consumido­res. As duas categorias com maior crescimento são os ingredientes com ativos botânicos e ativos biotecno­lógicos, ambos de origem natural, e fortemente elegidos pela preferência dos consumidores.

Este crescimento se dá pelo fato de as pessoas estarem mais atentas aos produtos que estão utilizando. Elas deixaram de buscar marcas pelo nome e estão em busca de benefícios. Além disso, os produtos naturais, como um todo, trazem aos consumi­dores a segurança de usar algo sem influência de químicos; é um produto menos nocivo à pele e à saúde, além da diminuição do risco de alergias. As matérias-primas utilizadas são re­nováveis e os produtos são, em sua maioria, biodegradáveis, diminuin­do os impactos ao meio ambiente. Segundo dados da Mintel, cerca de 30% dos produtos lançados em 2017 tiveram algum apelo natural.

Seguindo a máxima de consumir pro­dutos que sejam mais amigáveis ao meio ambiente, minimizando ao má­ximo o impacto ambiental, a biotec­nologia pode ser considerada como o futuro dos ingredientes cosméti­cos. Observando essa tendência, que só aumenta com o passar dos anos, algumas empresas de ativos cosmé­ticos estão investindo em parcerias e aquisições de empresas menores de biotecnologia e pesquisa, garantin­do assim produtos que estejam cada vez mais alinhados aos desejos deste novo consumidor. Em 2016, a Evonik adquiriu a startup francesa Alkion­Biopharma SAS, empresa fundada em 2011 como spin-off da univer­sidade Imperial Collegeof London, com especialização no desenvolvi­mento de ingredientes ativos obtidos por biotecnologia para a indústria cosmética. Por meio da Alkion, hoje Evonik Advanced Botanicals, a em­presa está fortalecendo o seu portfó­lio de ingredientes e ativos especiais.

A companhia também é pioneira no desenvolvimento da tecnologia que possibilita a produção de ceramidas idênticas às produzidas pela pele hu­mana. Os benefícios das ceramidas biomiméticas incluem: o fortaleci­mento da pele e do estrato córneo até a hipoderme; o reforço da barrei­ra lipídica cutânea, promovendo me­lhora em sua hidratação; prevenção contra efeitos secundários; restaura­ção do fotoenvelhecimento e até pre­venção da queda capilar e melhora da saúde do fio e do couro cabeludo.

“Há alguns anos os clientes estão mais interessados na aplicação de ingredientes ativos em formulações não só para pele, mas também para cabelos. Na América Latina, e prin­cipalmente no Brasil, com um peso cada vez mais importante do seg­mento de cuidados capilares, nota­mos que os produtos entregam cada vez mais benefícios aos consumido­res. No Brasil, por exemplo, onde as mulheres submetem os fios a diversos tipos de agressões (radiação UV, pisci­na, cloro, sal, coloração, escova pro­gressiva, entre outros), os produtos devem incluir benefícios como prote­ção e reparo contra danos diversos”, explica Amanda Caridad, analista de marketing da área de Personal Care e Nutrition & Care da Evonik. A empre­sa também adquiriu recentemente a Dr. Straetmans, pioneira em sistemas alternativos de conservação.

Indústrias distribuidoras também observam um aumento na deman­da de produtos naturais em suas empresas representadas. “A Dinaco agregou novos parceiros à sua lista de fornecedores, entre eles, empre­sas que se servem de ingredientes naturais como a Apprinova, que usa cana-de-açúcar para extrair os seus ativos; a Nagase, cujos produtos são obtidos de processos de fermenta­ção de amido; a Du Pont, que lan­ça mão do açúcar da beterraba; a Aldivia, que produz óleos vegetais; e ainda a Novachem, cuja base da maioria dos produtos vem de plan­tasnativas da Argentina, com gran­de impacto na indústria mundial. Dessa forma, a Dinaco está alinha­da a esta tendência buscando um portfólio mais natural. Além das representadas citadas acima, a Di­naco também trabalha com a Lipo­tec e Alchemy que extraem as suas matérias-primas das mais diversas fontes naturais para o mercado de cabelo e pele, podendo ser aplica­das em qualquer formulação cos­mética como anti-idade, hidratação, entre muitos outros”, conta Viviane Gandelman, diretora de Negócios & Supply Chain da Dinaco.

A distribuidora também reforça que algumas apostas no segmento de ati­vos naturais são produtos como emo­lientes, óleos e umectantes de fontes naturais, alguns com certificações como EcoCert e Cosmos. Um exem­plo é o emulsionante 100% natural extraído da cana-de-açúcar, aprovado pela EcoCert, capaz de aumentar a viscosidade de óleos e silicones.

A Brenntag Química, também distri­buidora de insumos cosméticos, está introduzindo no Brasil, por meio de seus parceiros, os alcanos verdes que são alternativas 100% naturais para formulações que querem fugir dos silicones sintéticos, especialmente do D4 e D5. “Nossa linha Vegelight é proveniente do coco e, atualmente, é a única linha de produtos no merca­do que possui o INCI name como Co­conut Alkanes, trazendo para o rótu­lo dos produtos finais o tão desejado apelo verde ou 100% natural. Podem ser utilizados em todas as formula­ções cosméticas que necessitariam de silicones derivados do petróleo”, en­fatiza Emerson Dorigon, coordenador técnico de Personal Care Brasil. Entre as empresas representadas, o espe­cialista destaca a italiana ROELMI, que está utilizando o conceito natural em seus desenvolvimentos.

 

Inovação, a chave da indústria cosmética

O setor cosmético é o segmento que mais inova, ficando atrás apenas do farmacêutico. Com o aumento da expectativa de vida da população e do consumo, a busca por produ­tos inovadores e que ofereçam bom custo benefício e resultados efetivos ficou ainda maior. “Vivemos em um mundo onde o acesso a comunica­ção está cada vez mais amplo e isso faz com que produtos fiquem obso­letos rapidamente, por isso a neces­sidade de se reinventar é obrigatória neste segmento”, opina Dorigon, da Brenntag. Para Amanda, da Evonik, “a forma como as marcas se relacio­nam com seus consumidores vai além da compra/venda, porque as marcas deixaram de vender apenas produ­tos e passaram a vender experiências e ideais, e é a inovação que permite nos reinventar e nos manter em cons­tante comunicação com os clientes”.

O que também tem sido observado é que os consumidores já reconhe­cem os ingredientes naturais como sendo mais puros, seguros e saudá­veis. Porém, além de entregar esses benefícios, os consumidores tam­bém buscam por formulações com texturas diferenciadas e com sen­sorial surpreendente, características que até alguns anos atrás não eram facilmente obtidas com produtos de origem natural. “Hoje, as tecnolo­gias de produção nos possibilitam criar produtos de origem natural extremamente eficazes, robustos e flexíveis, facilitando sua ampla apli­cação na indústria cosmética. Dito isso, as marcas investem em tecno­logias inovadoras que consomem menos recursos e são mais limpas e amigáveis ao meio-ambiente”, con­clui a analista da Evonik.

Todas estas tendências de mercado e comportamento serão apresentadas na FCE Cosmetique, que acontece en­tre os dias 22 a 24 de maio de 2018, no São Paulo Expo. Credencie-se para o evento e tenha acesso a conteúdos exclusivos e de relevância para o setor.

www.fcecosmetique.com.br

Mais sobre esta Edição
Parceiros H&C
  • ABC
  • Abipla
  • Abre
  • ABT
  • Anvisa
  • FCE Cosmetique
  • FtechSM
  • iCosmetologia
  • AACD
Rua Rio da Prata, 164 - Brooklin - São Paulo - SP - Brasil - CEP: 04571-210

Ftech Soluções em Internet